Poliamor Parte I

O  amor é um dos sentimentos mais libertadores que existe. E como aqui no Blog Coisas Triviais estamos nessa vibe de abordar sobre as várias formas em que ele ocorre, que tal começarmos pelo Poliamor?

Vou indicar a você alguns filmes e séries trabalham este tema.

 Falar disso não é algo recente, em 1976 foi lançado o filme Dona Flor e Seus Dois Maridos





Na década de 40, Dona Flor (Sonia Braga),  é casada com o malandro Vadinho, que só quer saber de farras e jogatina nas boates da cidade. Devido a uma  vida de abusos e noites em claro acaba por acarretar sua morte. Logo ela se casa de novo, com o recatado e pacífico farmacêutico da cidade. Com saudades do antigo marido que apesar dos defeitos era um ótimo amante, acaba causando o retorno dele em espírito, que só ela vê. Isso deixa a mulher em dúvida sobre o que fazer com os dois maridos que passando a dividir até mesmo a mesma cama.

Baseado no livro de mesmo nome escrito por Jorge Amado(lançado em 1966), este filme é um dos grandes clássicos do cinema nacional, foi líder de bilheteria no Brasil durante 34 anos. Sendo imaginação ou não de Dona flor a verdade,  aqui temos o conceito do amor compartilhado, um formato já bem transgressor para época em que foi lançado, tanto o livro quanto filme. Em 2017 foi lançada mais uma versão estrelada por Juliana Paes.




Divertido, sensual, intenso e muito bem dirigido por Wood Allen, Vicky Cristina Barcelona (2008) conta a história de duas amigas, Vicky (Rebecca Hall) e Cristina(Scarlett Johansson), que vão passar o verão em Barcelona. Juan Antonio, um pintor espanhol, faz uma proposta de sexo às duas e elas topam. O interessante dessa história é complexidade nos conceitos de Cristina, Vicky e Juan (Javier Bardem) e para completar ainda mais entra na história sua ex mulher Maria Elena (Penelope Cruz) com graves  problemas sentimentais. Vale muito a pena curtir essa salada de emoções vivida em um cenário bem elegante.



A Casa Sonho é uma série independente (Youtube) gravada no Rio de Janeiro e que tem como tema principal a cura gay e suas consequências na vida das pessoas. O ambiente é de personagens que morando numa mesma casa, dividindo assim seus conflitos pessoais. Temas como dificuldade de adoção por casais gays, racismo, homofobia, poliamor, transtorno bipolar, entre outros, são assuntos da história. Serão 08 episódios previstos! (texto adaptado do canal do Youtube)

Eu ainda não terminei esta Websérie, por isso não fiz minha própria sipnose (haha), já assisti a outras do Projeto Cais e é incrível ver o quanto eles evoluíram em questão qualidade, enquadramentos, roteiro, direção e atuação. Pessoal é muito importante apoiarmos projetos independentes nacionais, já não os vemos com tanta frequencia na tv e no cinema. Ela  entrou no post por um dos temas ser Poliamor. Assim que eu terminar de assistir falo mais dela para vocês.



Cidade Baixa traz a história de Deco (Lázaro Ramos) e Naldinho (Wagner Moura) que se conhecem desde garotos e ganham a vida fazendo fretes e aplicando pequenos golpes em um barco a vapor. Então, surge Karinna (Alice Braga) uma stripper que acaba fugindo com eles e desenvolvendo um tipo de relação a três. O filme foi muito elogiado no ano de lançamento(2005) e conta com atuações impecáveis, além de ter percorrido vários festivais pelo o mundo. Curti muito a intensidade e o realismo da obra.



Esta comédia sensual, Caramuru - A Invenção Do Brasil é tida também como um dos clássicos do cinema brasileiro.
No contexto de descobrimento do Brasil o português Diogo (Selton Mello), pintor que é contratado para ilustrar um mapa e, enganado pela sedutora Isabelle (Débora Bloch), acaba sendo punido com a deportação na caravela comandada por Vasco de Athayde (Luís Mello). A caravela naufraga, consegue chegar ao litoral brasileiro. Lá conhece a bela índia Paraguaçu (Camila Pitanga) com quem inicia um romance bem louco posteriormente, acontece a inclusão de outra índia: Moema (Deborah Secco), irmã de Paraguaçu.



A série Ela quer Tudo (Original Netflix) é baseada no filme de mesmo nome, dirigido por Spike Lee, em 1986. A nova versão é ambientada em Nova York e dirigida pelo mesmo diretor. Nola (DeWanda Wise) é uma artista plástica que corre atrás dos seus sonhos e cultiva as amizades. Decididamente independente, ela sente orgulho de não ser propriedade de ninguém. Nola se relaciona ao mesmo tempo com Greer Childs (Cleo Anthony), Jamie Overstreet (Lyriq Bent) e Mars Blackmon (Anthony Ramos). Essa série é bem mais profunda que parece pois trata da sexualidade da mulher negra de maneira muito libertadora e questiona conceitos como machismo, racismo e pressão social que elas sofrem. É incrível ver como a protagonista lida de forma segura com a sua Pansexualidade. Vale muito a pena ver.


Para não ficar muito longo, paramos por aqui. E aí? Comente abaixo:

Você tem mais filmes/series com temática de Poliamor para indicar? Você acha que hoje em dia existe mais liberdade para esse tipo de relacionamento? Já viu ou viveu histórias assim?

Você já pensou em ter um relacionamento poliamoroso? Tem curiosidade de saber como é? 

Gostaria muito de saber a opinião de vocês e esse post terá continuação, ok?


Agradeço pela a sua atenção


Até a próxima!



Comentários

  1. Ai, essas perguntas! hahaha. Eu acho que as pessoas se sentem mais livres para viver o poliamor, mas para falar... ainda vivemos em um país muito intolerante com tudo que foge muito da norma, e o poliamor não é uma exceção. Não sei se eu viveria ou saberia lidar com o poliamor, mas acho interessante sempre manter a mente aberta, pois isso nos possibilita viver mais coisas. Super beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima questão que você tocou, se já difícil não ser hetero aqui, imagina ter um relacionamento poliamoroso, enfim é preciso ter muita coragem e se revestir de amor para fazer dar certo. Eu também não afirmo se viveria ou não e procuro deixar a minha mente aberta a isso. Somos muito complexos para ter opiniões categóricas.

      Beijos

      Excluir
  2. Oi Beto das indicações a única que assisti foi Vicky Cristina Barcelona, mas adorei as indicações e não sabia da existência da nova versão de Dona flor e seus dois maridos. Ótimas dicas.

    Divagando Palavras
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Beto! Anotei todas as indicações porque desta publicação, só "Dona Flor..." e "Vick Cristina..." que já assisti. Já haviam me indicado outros, mas ainda não parei para ver. Vou aproveitar agora e assistir <3

    http://www.aquelaepifania.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assista sim Eliza e depois me conte, eu pelo menos adorei todos :)

      Excluir
  5. Olá, Beto! Tudo bem?
    Li recentemente "Dona Flor e seus dois maridos", e adorei! Acho a temática não apenas desse livro/adpatação, mas dos demais incrível. É um assunto que faz parte de nossa realidade e é muito importante obras como estas para compreendermos e respeitarmos as tantas formas de amor. Adoro Vick Cristina Barcelona, acho genial a forma como o Woody Allen trabalhou os personagens.

    Até mais. https://realidadecaotica.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São obras fantásticas, "Dona Flor" sempre me impressionou pela criatividade e ousadia. Vick Cristina Barcelona é um filme fantástico, Wood tem um dom de nos envolver em suas obras.

      Abrçs

      Excluir
  6. Cara, que post mais maravilhoso! Eu conheço a maioria das indicações citadas, mas só por nome mesmo, sabe? Nunca parei pra ver e nem sabia que se tratavam de poliamor. A única que eu assisti um episódio ou dois foi Ela Quer Tudo, mas na época não me prendeu, uma pena. Entretanto fiquei muito interessa nessa websérie brasileira, vou pesquisar! E respondendo as perguntas, ai olha, não sei se eu conseguiria ter um relacionamento poliamoroso (não consigo manter nem um relacionamento com uma pessoa, imagina com mais HAHAH), mas é aquilo, nunca diga nunca, né?
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que goste da websérie, achei a proposta bem interessante. haha Eu também compartilho da mesma opinião, não sei se teria psicológico pra isso mas não descarto a possibilidade. Obrigado pela visita Gabi :)

      Excluir
  7. Pessoal peço perdão pela demora em responder, tive problemas técnicos e falta de tempo. Mas não desistam do blog kkkk Já voltei com as postagens. Obrigado por participarem!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas