O futuro das máquinas






Fonte: https://bsp.org.br/1904/02/29/bate-papo-literario-ato-2-ficcao-cientifica/





Se no passado existia alguma perspectiva boa com relação ao futuro e às novas tecnologias, já deixamos esse otimismo de lado. Cada vez mais, os filmes e séries têm focado na tecnologia e sua interação com os humanos, dando o famoso ruim.

Uma recorrente discussão relaciona-se com o direito das máquinas. Tanto na série “Black Mirror” quanto em “Westworld”, este conceito é trabalhado. Ora, se uma máquina pensa e relaciona-se com o mundo, não deveria ela ter direitos?

Esta não é uma discussão nova, filmes como “Eu, robô” e “O homem bicentenário” (ambos baseados em livros do escritor russo Isaac Asimov) já haviam apresentado questionamentos semelhantes. No passado, porém, tudo era uma grande especulação. Agora nos deparamos com uma real questão sobre a consciência das máquinas e, talvez por este fato, essa questão tem estado mais presente.



Seria o homo sapiens uma espécie em extinção?


                              

Fonte: http://cinemacomrapadura.com.br/rapaduracast-podcast/463569/rapaduracast-520-duplex-blade-runner-1982-e-blade-runner-2049-2017/


No filme Blade Runner, que não por acaso voltou aos cinemas em 2017, vemos o cenário onde a sociedade humana entrou em colapso e os replicantes (humanos artificiais) surgem para realizarem trabalhos em locais inóspitos. Na saga de Blade Runner também vemos o questionamento sobre os direitos das máquinas e a interação destas com o ambiente.

Vamos pensar dessa forma: nós não conseguiríamos sobreviver com os desastres meteorológicos que podem acontecer no futuro, como o superaquecimento do planeta, ar contaminado, etc. As maquinas, porém, poderiam.



Black Mirror: problemas individuais e problemas coletivos


                               


Fonte:https://www.thewrap.com/black-mirror-art-exhibit/
Enquanto na 3ª temporada da série tratou-se mais da tecnologia como uma grande causadora de desastres, a 4ª temporada mostrou de certa forma, como o ser humano não está preparado para lidar com a tecnologia, mesmo quando ela poderia estar sendo usada de uma boa forma.

São problemas então que vão além de uma tecnologia criada com propósitos ruins: de que adianta uma boa tecnologia quando o usuário não a usa bem?



Westworld: as maquinas conquistando a autoconciência


                                   



Fonte:http://www.independent.co.uk/life-style/gadgets-and-tech/westworld-robots-could-be-just-like-us-technology-a7345551.html



Westworld foi uma série que me surpreendeu muito e prendeu minha atenção durante toda a 1ª temporada. Com diversos plot twists de cair o cérebro no chão, criamos uma empatia com as maquinas e começamos a questionar sobre a crueldade dos seres humanos para com elas.

Estou ansiosíssimo para ver a nova temporada que estreia ainda no primeiro semestre deste ano. Se você não assistiu a série, ainda tem tempo de ver tudo antes da nova temporada e fritar bastante o cérebro com questionamentos existenciais.



Ainda sobre o futuro

Fonte:https://www.theverge.com/2017/8/20/16164388/tommy-wirkola-interview-what-happened-to-monday-netflix



Um filme novo que se você não assistiu precisa ver é o “Onde está segunda?” da Netflix. Nele, temos também a apresentação de um mundo onde os humanos não souberam aproveitar os avanços tecnológicos, mostrando que o problema talvez seja da sociedade humana, que não é tão evoluída quanto pensa.O futuro das maquinas



Se no passado existia alguma perspectiva boa com relação ao futuro e às novas tecnologias, já deixamos esse otimismo de lado. Cada vez mais, os filmes e séries têm focado na tecnologia e sua interação com os humanos, dando o famoso ruim.

Uma recorrente discussão relaciona-se com o direito das máquinas. Tanto na série “Black Mirror” quanto em “Westworld”, este conceito é trabalhado. Ora, se uma máquina pensa e relaciona-se com o mundo, não deveria ela ter direitos?

Esta não é uma discussão nova, filmes como “Eu, robô” e “O homem bicentenário” (ambos baseados em livros do escritor russo Isaac Asimov) já haviam apresentado questionamentos semelhantes. No passado, porém, tudo era uma grande especulação. Agora nos deparamos com uma real questão sobre a consciência das máquinas e, talvez por este fato, essa questão tem estado mais presente.



Seria o homo sapiens uma espécie em extinção?


No filme Blade Runner, que não por acaso voltou aos cinemas em 2017, vemos o cenário onde a sociedade humana entrou em colapso e os replicantes (humanos artificiais) surgem para realizarem trabalhos em locais inóspitos. Na saga de Blade Runner também vemos o questionamento sobre os direitos das máquinas e a interação destas com o ambiente.

Vamos pensar dessa forma: nós não conseguiríamos sobreviver com os desastres meteorológicos que podem acontecer no futuro, como o superaquecimento do planeta, ar contaminado, etc. As maquinas, porém, poderiam.




Ainda sobre o futuro 



Um filme novo que se você não assistiu precisa ver é o “Onde está segunda?” da Netflix. Nele, temos também a apresentação de um mundo onde os humanos não souberam aproveitar os avanços tecnológicos, mostrando que o problema talvez seja da sociedade humana, que não é tão evoluída quanto pensa.





Escrito por Paco Sousa

Comentários

  1. Oi, Paco!
    Gostei dos questionamentos que você levantou... Eu só lembro de Exterminador do Futuro, onde as máquinas dominaram os humanos.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha continua acompanhando o blog, com certeza vamos falar de algum filme que você tenha assistido :)

      Obrigado pela visita

      Excluir
  2. Olá, Paco.
    Gostei muito da postagem e das questões levantadas. Há alguns anos eu até não acreditava que as maquinas pudessem ganhar consciência, mas a forma como a tecnologia está evoluindo nem sei mais o que pensar.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A tendência é que a máquina fique cada vez mais inteligente, a ponto de entender as nossas emoções. Que medo disso! haha

      Muito obrigado pela a visita! :)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas